Category Archives Judaicas

Recruta Blinder sempre bate continência e deixa seu posto avançado nas bandas do rio Hudson em Nova York e retorna à base quando convocado pelo comando da comunidade judaica brasileira. Assim que meu amigo Fernando Lottenberg, presidente da Confederação Israelita do Brasil (Conib), me convidou para participar da convenção em São Paulo em novembro, eu topei sem pestanejar. E nem sabia qual seria a missão do recruta Blinder. E imaginem minha satisfação quando eu soube que minha responsabilidade seria entrevistar no “palco” David Harris, diretor executivo do American Jewish Committee, um dos judeus mais influentes dos EUA e, por tabela, do mundo. Influente nem dá para começar para dar a dimensão de quem é Harris. Qualquer press release sobre ele […]

Israel sempre é um assunto polêmico e nunca tenho fadiga dele, pois meu sionismo é incansável. Por boa parte de minha vida profissional, enfrentei antissemitas disfarçados de antissionistas. E por boa parte desta boa parte de minha carreira, o duelo foi com a esquerda. Hoje em dia há uma inversão quando o papo é Israel. O duelo acontece mais com uma direita chucra (no caso de brasileiros, seguidores de Bolsonaro ou de tantos bispos evangélicos da vida) ou ferozes militantes do sionismo ultranacionalista. Esta gente que me ataca e me insulta de “judeu traidor”, muitas vezes não tem noção de batalhas passadas. Então, aqui vai uma amostra quando publiquei em 19 de maio de 2008 um texto no Portal IG […]

Tudo é explosivo no assunto norte-coreano. Naquele hospício nuclear, este sábado, 15 de abril, é um dia especial: data de nascimento de Kim Il Sung, fundador do país, que entre seus atributos é uma monarquia comunista, pois no poder está o neto Kim Jong-un, um degenerado. Por lá, as coisas pioram de geração a geração no comando cruel, caprichoso e catastrófico. Os fogos de artifício da celebração do aniversário do vovô poderão ser muito peculiares: um teste nuclear. Isto quando uma armada norte-americana se dirige para a região e o presidente Donald Trump está ouriçado depois do sucesso que foi o seu lançamento de mísseis contra a Siria por seu uso de armas químicas contra civis. Aliás, o primeiro-ministro japonês […]

Em texto publicado no mês passado, eu poderia ter cometido um erro sério se tivesse feito uma associação direita entre a onda de ameaças contra entidades judaicas nos EUA e o “clima” da era Trump. De qualquer forma, já cometi um deslize ao meramente fazer a sugestão. Sei que não fui tão irresponsável nesta fase em que pipocam as fake news e análises instântaneas no Twitter. No entanto, é importante assumir responsabilidade pelo o que escrevemos e não ignorar os fatos. E eles estão aí. Foram surpreendentes.  E de pensar que a premonição de Trump não foi absurda desta vez. Em um coletiva de imprensa em fevereiro, o presidente disse algo inusitado até para os seus padrões. Trump previu que […]

São tempos inquietos para a comunidade judaica americana. Tempos de vandalismo em cemitérios, tempos de ameaças de bomba contra dezenas de centro comunitários e tempos de decidir o que fazer em relação a Donald Trump. Para o grosso da comunidade, não existe dilema. Existe a mobilizacão contra o antissemitismo e contra o governo Trump, que levou um tempo desgraçado para publicamente denunciar categoricamente, embora com clichês de político, o ódio ao povo judeu. A preferência do presidente sempre foi se escudar contra as acusações de seu próprio antissemitismo (que eu não endosso) ou de estimular supremacistas brancos, alegando ter um genro judeu, uma filha convertida ao judaísmo e netos judeus. É a tal história venenosa de que quando um sujeito […]

Um dos meus programas favoritos na vida é ir a um cinema para assistir à filme-cabeça. Fiz minha cabeça assim, batendo o ponto desde adolescente em cinemas como o Bijou e o velho Belas Artes em São Paulo. Na minha vida americana, o ritual continua. Cinemas como o Lincoln Plaza no West Side de Manhattan, e o Bow Tie, na cidade de Montclair (mais perto de minha casa de subúrbio) são familiares. Padrão Nações Unidas: filmes da Argentina, Irã, Israel, Marte e Vênus. E existe um perfil de espectador quando pego uma sessão no começo da tarde de um filme-cabeça no sabadão ou no domingão. Judeus mais velhos, muitas vezes batendo o ponto aos bandos. Vocês conhecem o estilo, não? […]

Amigo do Brasil chega em Nova York e me convoca: vamos para a Carnegie, na Sétima Avenida, que disputa o título de deli mais famosa do mundo com a Katz’s, lá embaixo na Houston Street, para a qual também sou convocado. A deli, popularizada em Nova York e nos EUA pelos judeus que emigraram da Europa Oriental Imagino que as convocações serão mais intensas para a Carnegie, agora que saiu o anúncio de que fechará no final do ano. Nunca fui muito chegado nas duas, abarrotadas de turistas. Na porta da Katz’s para até ônibus de excursão. No entanto, tudo bem. Patrimônio cultural e gastronômico deve ser respeitado. Assim, realmente quero dar uma passada na Carnegie para devotar um “Woody […]

Produzi muito no sabático. Estou preguiçoso no domingão, no meio do feriadão americano do 4 de julho. Então surrupio este texto passado por uma amiga minha. Ela o encontrou no Facebook do Gabriel Paciornik, um judeu brasileiro que vive em Israel. Ele é amigo do Guga Chacra. Guga é meu amigo, logo o Gabriel também é, especialmente agora que me poupou de trabalhar no domingão. *** Gabriel Paciornik Todo mundo sabe que brócolis é bom. Cura câncer, AIDS, unha encravada e tira nome sujo do SPC. Mesmo assim, nem todo mundo come brócolis. Não gosta, e prefere morrer de pereba e nó nas tripas. Pais dão brócolis aos seus filhos, mesmo quando estes não gostam. Largam no prato e avisam […]

Elie Wiesel, sobrevivente de Auschwitz e Prêmio Nobel da Paz, relatou as atrocidades nazistas e foi figura-chave para que não as esqueçamos e, na medida do possível, não as repitamos (difícil). Wiesel era a “consciência do mundo”, como lembrou o presidente Obama neste sábado.

Existem muitos motivos para não se votar em Trump. Sendo muito pessoal: como um judeu pode votar nele? Ah, mas seu genro é judeu, sua filha se converteu ao judaísmo. E daí? E o racista que diz: eu racista? Até tenho amigos negros. Na minha ironia, Trump é tão ladino (alguns entenderão), tão canalha, que deixa as coisas no ar quando, por exemplo, observa: nem todos os mexicanos são estupradores, retuitei frase do Mussolini pois era uma boa frase, não entendi a pergunta quando cobrado para repudiar prontamente apoio de ex-chefe da Ku Klux Klan. A ambição de Trump é conquistar, tanto os votos dos judeus, como os dos antissemitas. Como, portanto, um judeu pode votar nele? Sim, era para […]

12
Close
SiteLock