Boa parte da nação americana (e pelo o que sei até em pubs paulistanos) estará grudada hoje à noite na TV para assistir ao Super Bowl. 52 Eu não. Estou em Minneapolis, uma das minhas cidades mais queridas nos EUA, mas nunca em fevereiro, para assistir, AO VIVO. Neste momento, 9 da matina aqui, temperatura de 21 graus negativos (em celsius).

O ingresso é cortesia da filhota Ana, que trabalha na NFL. Madame Blinder esnobou o presente e o segundo ingresso foi para o sortudo do meu sobrinho Bruno. Minneapolis, cidade dos Vikings, que quase chegaram à final, está empesteada de torcedores do Philadelphia Eagles, que têm fama de vândalos. Mas eu torço para os vândalos (já que os Vikings estão fora). Afinal, o time de Filadélfia nunca ganhou o Super Bowl.

Papo sobre temperatura é chato, mas como evitá-lo quando se está em Minneapolis num 4 de fevereiro? E não vou comentar o jogo. Mesmo neste frio ártico, a cidade está uma festa. Sábado à noite, parecia carnaval no centrão com a farra de vândalos, vikings, patriotas (o outro time na final, o do marido da Gisele) e idiotas como Mr. Blinder. Não escutou os alertas de Mrs. Blinder e não comprou ceroulas. Nem quando morava na região dos Grandes Lagos, no meio-oeste, eu usava a vestimenta, com nome e aparência indignas.

Mas, dane-se a dignidade. Os tempos mudaram e lá estavam, eu e Bruno (bem agasalhado) circulando pelo centrão de Minneapolis em busca da vestimenta. Entre ceroulas de lã de 15 dólares e as de algodão de 9, investi na mais cara (e de pensar que o ingresso mais barato para o Super Bowl estava acima de três mil dólares).

Dentro do estádio hoje à noite, a temperatura ambiente estará tropical, 21 C. No entanto, não troca nada pelo meu investimento de 15 dólares.

Deixe um comentário

11 Comentários em "Meu reino por ceroulas (eu no Super Bowl)"

avatar
Ordenar por:   novos | antigos
Gui
Visitante
Caio, uma Superbowl vale muito mais do que o nosso malfadado campeonato brasileiro, além disso um ingresso desses e considerado moeda mais valorizada que o furado Bitcoin, ahahahah. Passando para o Superbowl político, você acompanhou o discurso do último Kennedy na política que ainda não tem esqueletos (ou não foi… Leia mais >>
Ramos
Visitante

Este e esporte americano, campeonato brasileiro e fantástico. Equilibrado.
Ver os grandes clubes brasileiros e jogadores respeitando seu hino, sem igual. Brasil acima de tudo.

Paulo Vitor
Visitante

Nao entendo o por que de falar mal do Campeonato Brasileiro pra falar bem do Superbowl.

maisvalia
Visitante

Que inveja!!!
Ano passado assisti o Atlanta no antigo estádio.
Em dezembro fui assistir Jaguars x Colts em Jacksonville, uma experiencia e tanto mas nada se compara ao Superbowl. Quem sabe um dia.
PS Torço para o Packers mas nessa vou de Eagles contra o Curintias daí.

maisvalia
Visitante

Ano retrasado, hahahaha

Carmem
Visitante

Vc não vai publicar essa foto histórica de ceroulas? Hehehe
Showzão.
Have fun,
Abs

José do Norte
Visitante

Massa! Gostaria de estar aí ! Bom jogo, Caio!

Robson La Luna di Cola
Visitante

Será que os jogadores vão se ajoelhar durante a execução do hino nacional americano?

Marcio
Visitante

Bom divertimento caio.

Robson La Luna di Cola
Visitante
Prefiro o esporte amador. Uma vez assisti de graça, em uma cidade da França, um jogo de rugby. O pai do futebol americano. Eu vi jogadas fantásticas, improvisadas, quase obras de arte. Enquanto que nos esportes profissionais, vemos uma estruturação empresarial, hierárquica de sua atividade. Joga-se para ganhar. Ou para… Leia mais >>
Pierre
Visitante

Seu Caio. Morto de imveja! e feliz que o senhor comprou ceroulas. Prudente!
Jogão!!

wpDiscuz
Close
SiteLock