A arma de Wuilly Arteaga contra a repressão chavista

A expressão semana decisiva é uma muleta analítica das mais deficientes, mas em algumas ocasiões expressa o vigor do momento, como no aqui e agora na Venezuela.

A partir desta quarta-feira é uma greve geral de 48 horas contra a ditadura de Nicolás Maduro convocada pelo oposição. Na sexta-feira, será uma manifestação nacional maciça contra a farsa eleitoral do final do mês para a implantação de uma assembleia constituinte.

O vigor da oposição supera as expectativas. O protesto contínuo e sangrento nas ruas não levou à fadiga; as artimanhas de Maduro para ganhar tempo e dividir a ampla coalizão de oposição não surtem efeito e um chavismo dissidente se cristaliza.

E eu destaco um quarto ponto: a oposição planta as sementes de um governo paralelo, como na escolha de juízes pela Assembleia Nacional (o único grande poder nas suas mãos, embora atrofiado pelo regime) no lugar dos funcionários de Maduro na Corte Suprema. Maduro “honra a promessa” e começou a prender os juízes (não foram presos aqueles que mergulharam na clandestinidade).

Apesar deste cenário, é difícil ver Maduro recuar da convocação da assembleia constituinte, o que basicamente seria o passo final para consolidar a ditadura. Não pode recuar para não mostrar fraqueza (embora exista o desmanche do país). Ele se comporta como um ditador no bunker.

Uma forma otimista de sinalizar o desfecho da crise da Venezuela é que a situação no bunker ficará tão insustentável que mais ratos irão debandar e assim haverá espaço para uma transição negociada com a oposição.

Um dos meus gurus venezuelanos, Francisco Toro, está bem alarmista e pergunta: a Venezuela está à beira de uma guerra civil? Ele começa a resposta por um caminho intrigante. Argumenta que a surpresa é que a escalada de violência nas ruas ainda seja tão contida.

Obviamente, é um confronto assimétrico entre as forças de segurança e seus asseclas dos coletivos, que são as milícias chavistas, contra manifestantes, desarmados e desesperados em sua esmagadora maioria. Basta ver que um dos ícones dos protestos é o violinista Wuilly Arteaga.

E um pouco de contexto: mesmo as forças de segurança não partiram completamente para a ignorância. A Venezuela ainda está muito distante de uma Síria, onde o regime metralhou manifestantes pacíficos desde o começo dos protestos na Primavera Árabe.

No entanto, no alerta de Francisco Toro, o equilíbrio é precário, algo pode virar a balança para um conflito bem mais dramático, com alguns setores da oposição, especialmente jovens, mais organizados e já atuando em formação paramilitar.

Uma guerra civil está longe de ser inevitável, mas se torna cada vez mais provável caso não haja uma solução negociada.

 

 

Deixe um comentário

49 Comentários em "A Venezuela à beira da guerra civil?"

avatar
Ordenar por:   novos | antigos
José do Norte
Visitante
Risco de guerra civil? Só se a oposição tiver armas. Quem assumiria a logística? Uma dissidência no exército? Seria terrível! Milhares de mortos e milhões de refugiados. Caos. Lágrimas e muita dor. Ainda me pergunto se não valeria a pena subornar ose segundo e terceiro escalão do regime.
Anouk
Visitante

Maduro nao é só uma droga política, é acima de tudo um obstáculo desafiador. A resposta do Pentágono ao estilo „árabe primaveril“ seria um fado trágico para os venezuelanos.

Novocredo
Visitante

No meu ponto de vista a única maneira de diminuir o banho de sangue é negociar anistia para segundo escalão- jogar a responsabilidade em Maduro.

maisvalia
Visitante
Os milicos tem que mudar de lado e pendurar a cúpula inteira. E pensar que foi FHC um dos proceres do amanhecer desta situação. Depois o PT aprofundou o estimulou a ditadura, financiando até eleiçoes e roubando juntos . Sonhavam e sonham em trazer o modelo a banania. Sua embaixadora… Leia mais >>
victor m costa
Visitante

Guerra com data marcada para a eclosão , o day after a famigerada constituinte .
E se Trump decretar o embargo , metade do regime pula fora em um mês .

Ivan
Visitante
E o Brasil se omitindo em tudo isto. Venezuela faz fronteira conosco! Vergonha! Pelo menos não fazemos mais como os governos Lula e Dilma que apoiaram ostensivamente o regime chavista. Financeira e diplomaticamente. Aliás, para não perder o costume, lá foi a Narizinho mostrar solidariedade ao regime opressor que mata… Leia mais >>
Guga
Visitante

Concordo.

victor m costa
Visitante
governos Lula e Dilma que apoiaram ostensivamente o regime chavista. Financeira e diplomaticamente. – – – – – – – – E ainda tem o PC do B da Jandira – – – – – – – – para não perder o costume, lá foi a Narizinho mostrar solidariedade –… Leia mais >>
José do Norte
Visitante

Acho apenas que você está sendo muito severo com o Brasil. Nosso país estava em processo de fragmentação, há muitas bombas para serem desarmadas.

Hà uma circunstância geográfica também: São Paulo, BSB e GIG ficam no SE, fossem mais próximos do abismo venezuelano a atitude seria certamente outra.

victor m costa
Visitante

comment image?quality=70&strip=info&w=620

Lembrando que milico era o Chaves , Maduro era piloto de onibus , e os militares certamente não terão a mesma lealdade a um civil com esse uniforme . . .

José do Norte
Visitante

Victor,

Maduro nuna foi ‘piloto de onibus’, sempre foi um alto membro dos quadros do partido comunista venezuelano tendo sido aluno dedicado e treinado em todo tipo de estupidez em sua Alma Mater: CUBA,

Guga
Visitante

Somando Chaves e Maduro foram muitos anos de aparelhamento e lavagem cerebral.

Não sei também se os protestos concentram-se apenas em Caracas ou estão espalhados pelo país.

Caso não haja ajuda externa ainda aposto numa acomodação ao estilo cubano,infelizmente.

maisvalia
Visitante

Em vez de Olavo tem razão,
Bush tem razão.

Masa
Visitante
“Uma guerra civil está longe de ser inevitável, mas se torna cada vez mais provável caso não haja uma solução negociada”. Por que a grande imprensa insiste em usar a expressão “GUERRA CIVIL”??? Vamos dar nome aos bois, o que acontece na Venezuela é uma REVOLUÇÃO, isto é, REVOLTA popular… Leia mais >>
Gabrielxxx
Visitante
Antes eu pensava que a única solução era uma guerra civil, mas não consigo ver, pelo histórico, militares metralhando a população civil, como foi bem pontuado no texto, no maximo as milícias chavistas. Diante disso, pode ser que um contra-golpe militar saia. Os melhores textos seus caio, são referentes à… Leia mais >>
Ramos
Visitante
Os coletivos reagiram a um golpe, sabem que, mesmo dado por militares chavistas, a coisa vai descontrolar e o sentimento de vingar os mortos, prisões e humilhações e grande, principalmente dos jovens. Existem ainda partidos radicais de extrema esquerda. Os cubanos. Ou seja, o Brasil se prepare, temos que olhar… Leia mais >>
Gabrielxxx
Visitante
Caio, não vai comentar sobre os grandes desafios existenciais da humanidade, discutidos sem parar na mídia americana, tal como a proibição de transexuais virarem seals para combater o ISIS? Coreia do Norte perto de conseguir mísseis inter-continentais, Putin cada vez mais perigoso, crise humanitária na Venezuela, mas nada disso chega… Leia mais >>
Gabrielxxx
Visitante
Caio, a crítica maior foi a mídia e ao partido democrata que, por essas e outras, já mostrou que virou um partido de classe média, abandonando por completo o trabalhador, preocupando-se somente com uma agenda moral destrutiva da civilização. Quanto à Trump eu fiz um “elogio”, o homem entende mais… Leia mais >>
José do Norte
Visitante

Joinha.

Carmem
Visitante
Não deixa de ser curiosa a determinação das forças armadas de não intercederem. Por muito menos no Egito o Sisi botou seu bloco na rua com os tristes resultados q todos conhecemos. Lugar de militar é no quartel. Se a oposição conseguir chegar a algum acordo com Maduro sem apelar… Leia mais >>
Carmem
Visitante
Eu estava pensando no Mujica q é uma figura respeitada a esquerda e a direita mas o Santos tb é uma opção. O porém é a fronteira entre os dois países q tem tido um tráfego enorme de refugiados. Santos pode ser facilmente acusado de estar interessado em resolver o… Leia mais >>
victor m costa
Visitante

Eu estava pensando no Mujica ,
– – – – – – – – –
O Zé o caixão não . . .
rssss.

Carmem
Visitante

Mujica, não Mojica hehehe

victor m costa
Visitante

Confundi as unhas . . . rssss .

maisvalia
Visitante

Eu não respeito o Mujica.

Carmem
Visitante

Tá bom, refraseando, o Mujica é respeitado ao centro-direita e a esquerda hehehe

maisvalia
Visitante

Eu sou de centro direita, Hehehehe

Carmem
Visitante

Em relação a q centro?

maisvalia
Visitante

Cumps, vc entendeu, Hehehehe
Mujica sucks

victor m costa
Visitante
Lugar de militar é no quartel. – – – – – – – – – – – – – – – – – – – Uma intervenção militar certamente desembocaria numa ditadura. E a gente sabe o custo q é tirá-los de lá depois q entram. ————————————- Caríssima , Carmem… Leia mais >>
Carmem
Visitante

Não senhor, o trato era a junta governar e depois convocar eleições. E como sempre acontece, a junta levou um golpe da linha-dura. Se houvesse dissidência o país iria para a guerra civil. Obviamente a “linha-mole” entregou os pontos. 20 anos foi muito tempo. Um absurdo.

victor m costa
Visitante

“linha-mole” entregou os pontos. 20 anos foi muito tempo. Um absurdo.
– – – – – – –
Geisel , e depois Figueiredo , entregaram o ouro aos bandidos , antes da missão ter sido cumprida .

Carmem
Visitante

Qual era a missão?

victor m costa
Visitante

Formar umas duas duas ou três gerações , educadas , sadias mentalmente , para pelo menos saberem votar .

Carmem
Visitante

Em 20 anos eles não formaram nenhuma… sonho seu.

victor m costa
Visitante

E deixaram ?

Carmem
Visitante

A democracia é um exercício, a população é formada a medida q a exerce. Nenhuma ditadura forma cidadãos democratas, pelo contrário. Democracia é uma cultura.

victor m costa
Visitante

Por muito menos no Egito o Sisi botou seu bloco na rua
– – – – – – – – – –
Lá a opção era um Monstrengo chamado Irmandade Muçulmana , só sairia com Tomahawk , muitos deles . . .

Carmem
Visitante

Sisi já deveria ter convocado eleições, como sempre essa foi a promessa q não foi cumprida. Pelo contrário, intensificou a repressão cassando a imprensa e seus opositores. Virou um monstrengo igual ao q disse q combateria.
Same old, same old…

victor m costa
Visitante

Aqui é muito mais fácil , lá ele combate os radicais Islâmicos , aqui apenas a extrema burrice , pilantragem , má fé , fanáticos por dinheiro , combater algo que nem os que praticam acreditam , é infinitamente melhor .

Carmem
Visitante

Ele combate os radicais islâmicos, os liberais, os democratas, a imprensa livre. Não sobra nada.

victor m costa
Visitante

Gato escaldado . . . A imprensa e os democratas estão liberadas de radicais infiltrados ?

Carmem
Visitante

Aí já é paranoia..

Gabrielxxx
Visitante

Não que seja minorante, mas pelo menos é laico, e os cristãos cooptas são deixados em paz..

José do Norte
Visitante

Sisi deveria mudar seu título do fonema “Presidente” para “Vizir do Egito”.

José do Norte
Visitante

Engraçado: pensei no México, o Terceiro grande da AL.

Guga
Visitante

Bom,se Putin estava ajudando a Venezuela deve estar pensado melhor se continuara:

https://www.forbes.com/sites/kenrapoza/2017/06/13/venezuela-defaults-on-russia-is-goldman-sachs-next/#23ae87d22bae

Guga
Visitante
E a Goldman Sachs? ´´Investors have been waiting for an official default for nearly a year now. Venezuela keeps pulling a rabbit out of its hat. Last month, Goldman Sachs “loaned” the government $2.8 billion by buying distressed PDVSA bonds. The purchase sent the anti-PSUV crowd into the streets of… Leia mais >>
wpDiscuz
Close
SiteLock