O debate viral entre Navalny (à esq.) e Strelkov

Vladimir Putin é para sempre. Nenhuma surpresa nesta constatação. Difícil imaginar a Rússia sem ele tão cedo, salvo algum cataclisma político ou intempérie pessoal. Não existe democracia na Rússia, embora não seja hoje um regime totalitário como na época do comunismo soviético.

O próprio Putin tocou no assunto do para todo e sempre na sexta-feira, ao dizer que tem “muitas” opções na pós-presidência, mas ele não decidiu se irá no encalço delas. Tudo melancólico, como um clássico romance russo.

E tem mais, mais melancólico ainda. Não existe uma inspirada visão alternativa a este nacionalismo muscular, revanchista, insidioso e mentiroso que é o regime Putin.

É verdade que nos últimos meses tivemos corajosas e quixotescas manifestações de rua contra o arbítrio e a corrupção do regime Putin, sob a batuta do carismático Alexei Navalny, um costumeiro inquilino do sistema carcerário.

Mas foi um analista russo que acompanho, chamado Leonid Bershidsky, que relatou que nem mesmo os oponentes mais veementes podem oferecer uma visão alternativa à de Putin. Na semana passada, Navalny travou um debate com uma liderança ultranacionalista. Ex-oficial do Exército, Igor Girkin, mais conhecido pelo nome de guerra Strelkov, se meteu na agressão da Ucrânia como “voluntário” e chegou a ser ministro da Defesa do enclave separatista pró-russo.

Tornou-se inconveniente para o Kremlin e foi enxotado da Ucrânia, para cujo governo ele é um criminoso de guerra. Strelkov está em Moscou, onde recebe aposentadoria militar e decepcionado com o que considera comedimento nacionalista de Putin.

Strelkov desafiou Navalny para um debate, que tem sido uma sensação viral na Internet, confirmando o desejo popular por um duelo competitivo e não os orquestrados e looongos espetáculos de Putin papeando com o povo.

Navalny, no entanto, não pressionou por uma Rússia mais moderna e Strelkov, para dar uma medida, é um assumido monarquista. Ambos no debate jogaram com as cartas de Putin. É verdade que Navalny é incansável para denunciar a corrupção nas entranhas do regime Putin, enquanto para Strelkov o maior inimigo é o Ocidente.

Navalny ainda vislumbra um glorioso futuro para uma toda-poderosa Rússia e não questiona a anexação da Crimeia durante a invasão da Ucrânia em 2014. Para ele, o problema da agressão foi o custo e não a violação da soberania de um país.

Navalny sonha com uma economia menos corrupta e Strelkov com uma sociedade mais militarizada e sombria. Não podemos ter saudades da era Yeltsin, o predecessor e mentor de Putin. Foram justamente aqueles dias caóticos e corruptos que levaram ao sistema vigente de ordem e corrupção institucionalizada.

No entanto, Yeltsin ao menos tinha uma visão de Rússia mais liberal, mais próxima da Europa e despojada da carcaça imperial. É uma prova do sucesso de Putin que sequer alguém como Navalny visualiza um futuro mais europeu para a Rússia

 

Deixe um comentário

45 Comentários em "A visão de Putin é atroz e não há alternativa"

avatar
Ordenar por:   novos | antigos
Novocredo
Visitante

Não acompanho a política russa, mas este relato nos mostra um futuro sombrio para a Rússia. De qualquer modo o nacionalismo russo será sempre uma característica importante, bem como a defesa intransigente do espaço nacional e seu entorno. As invasões de Napoleão e Hitler não serão esquecidas.

Novocredo
Visitante

Outra característica que não muda muito é a defesa dos cristãos ortodoxos, mesmo que fora das fronteiras russas.

maisvalia
Visitante
Com esses oponentes fica mais fácil para o autocrata Putin. De outro lado os russos têm tradição de amar autocratas. Basta ver a popularidade atual do tirano genocida Stalin. “Para russos, Stálin é a figura mais notável da história mundial” http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2017/06/1896114-para-russos-stalin-e-a-figura-mais-notavel-da-historia-mundial.shtml Fora pesquisas que dão 54% de aprovação e desculpam… Leia mais >>
José do Norte
Visitante

Pô, mas Stalin foi notável sim. Os americanos o chamavam de uncle Joe.

Guga
Visitante
A corrupção não é privilegio russo e nem das autocracias. Não havendo instituições que suportem a democracia de nada adianta trocar o presidente em alguns países,é o negocio do ovo ou da galinha. Detentora de um arsenal nuclear fabuloso ainda acho melhor ficar com Putin do que correr o risco… Leia mais >>
José do Norte
Visitante

Joinha.

Rubem
Visitante
Ao final da guerra fria ao invés de buscar humilhar os russos e desestabilizar o país, o ocidente deveria ter feito como com a Alemanha na 2a guerra, uma espécie de plano Marshall. Mas eram tempo ideológicos bem diferentes, e como o interesse dos neo-liberais era também destruir seus próprios… Leia mais >>
maisvalia
Visitante

OMG
WFIT
Um espanto de culpar o ocidente pelo Putin.
Deturparam Marx também, hehehehehe

Vera Lucia
Visitante
Yeltsin se rendeu de forma incondicional. Gorbachev acreditava ainda num plano Marshall, ao se render para evitar uma guerra. Yeltsin privatizou 125 mil empresas com dinheiro público, após mandar seu exército atirar contra o parlamento,- que se opunha às medidas ECONÔMICAS neoliberais, fazendo prevalecer a versão, junto a opinião pública,… Leia mais >>
maisvalia
Visitante

A Rússia, no entanto, conseguiu preservar a Gasprom. O Brasil, nem a Petrobrás.

O PT privatizou para o Lularapio e demais membros da quadrilha.
Nos conte sobre o sucesso da PDVSA.
Ou sobre a calhorda ladra de nome Gleisi.

victor m costa
Visitante

A Rússia, no entanto, conseguiu preservar a Gasprom. O Brasil, nem a Petrobrás.
——————————————————————————————————
Eles enfrentaram os Mongóis tártaros , Vikings , Napoleão , Hitler . . .
Mas , não sofreram a catástrofe Pt , Lula , Dilma .

José do Norte
Visitante

Deposito credibilidade no relato, VL.

victor m costa
Visitante

uma espécie de plano Marshall.
– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – —
Ai não seria plano Marshall. E sim plano marcha da insensatez . . .

Carmem
Visitante

Os russos iam enfiar todo o plano Marshall no bolso…

Novocredo
Visitante
Stalin não aderiu ao plano Marshall e o considerava um modo dos EUA fazerem da Europa uma escrava dos americanos. Ela nunca foi capaz de entender “ajuda” onde ambos saem ganhando. Apesar de tudo, muitos russos tem Stalin em alta conta, de certo modo como Stalin tinha Ivan, o Terrível… Leia mais >>
victor m costa
Visitante

E em vodka . . .
rsssss .

Rodrigo
Visitante
Parece-me claro que alguns países, dadas a sua história e sua tradição, não vão morrer de amores pela democracia, ou pelas liberdades ocidentais. O exemplo alemão é curioso: Autoritário sob Guilherme II, bestialmente totalitário sob o nazismo, “os alemães, a despeito dos racistas germanófobos, souberam adaptar-se sem nenhuma dificuldade aos… Leia mais >>
Rubem
Visitante
vc precisa ler sobre a republica de Weimar. http://www.newyorker.com/magazine/2015/01/26/berlin-story http://www.nytimes.com/books/98/10/25/specials/gay-weimar.html There was no place like Berlin in the 1920’s. The capital of the modern movement in literature and the arts, pioneering in the cinema and theater, in social studies and psychoanalysis, it was the city of “The Threepenny Opera” and… Leia mais >>
Rodrigo
Visitante

OK, Rubem.

maisvalia
Visitante

Esqueceu da inflação.

Novocredo
Visitante

inflação,não, hiperinflação.

Carmem
Visitante

Chegou a 20% ao dia. Tinha q dar m. mesmo.

Rubem
Visitante

Os custos impostos pela I guerra foram muita altos, eles não iam ter como arcar, não foram só questões internas. Deu no que deu.
É o paralelo que fiz com a rússia pós 89. Ia dar em Putin mesmo.

Carmem
Visitante

Ah tá hehehe

Vera Lucia
Visitante
Yeltsin se rendeu de forma incondicional. Gorbachev acreditava ainda num plano Marshall, ao se render para evitar uma guerra. Yeltsin privatizou 125 mil empresas com dinheiro público, após mandar seu exército atirar contra o parlamento,- que se opunha às medidas ECONÔMICAS neoliberais, fazendo prevalecer a versão, junto a opinião pública,… Leia mais >>
maisvalia
Visitante

Duas vezes a mesma besteira, hehehehe
Premio Joesley de 9 milhões.!

victor m costa
Visitante
Guerra e paz de Tolstói , desnuda com perfeição a melancolia da alma Russa . Pós o advento nuclear , a ex super potência não vai a guerra aberta pois teme as consequências , nem não selou a paz com com a UE , atormentada com desconfianças , revanchismos e… Leia mais >>
Carmem
Visitante
Caio, os russos acreditam q estão lutando contra nazistas na Criméia e no resto da Ucrânia. A opinião pública é totalmente distorcida pelos aparelhos de propaganda q Putin montou. Até mesmo no ocidente esse aparelho influencia, imagine lá. Imprensa livre é fundamental para qq país q aspire a ser uma… Leia mais >>
Carmem
Visitante
Viu? Já apareceu uma ilustração para o q acabei de escrever hehehe Aos apologistas de Putin, que infelizmente abundam nesta coluna, apenas uma medida. Veja a lista da Transparência Internacional. Entre 176 países, o Brasil é número 79 no ranking de mais corrupto. E a Rússia de Putin e da… Leia mais >>
Anouk
Visitante
“No entanto, Yeltsin ao menos tinha uma visão de Rússia mais liberal, mais próxima da Europa e despojada da carcaça imperial.” “No entanto, Yeltsin ao menos tinha uma visão de Rússia mais liberal, mais próxima da Europa e despojada da carcaça imperial.” * Haja paciência, Caio. ** After Vladimir Putin… Leia mais >>
maisvalia
Visitante

Putin sucks

Anouk
Visitante

Se a entrevista fosse em defesa da Hillary, você chamaria os seus leitores de apologistas da Hillary? Haja paciência!

victor m costa
Visitante
Aos apologistas de Putin, – – – Os mesmos que tentam justificar Fidel , Cuba , “Mai$duro” a cada dia , ditadores genocidas Africanos , simpatizam sempre com o Hamas e Hezbollah contra Israel ,a única democracia do OM , receberam Ahmadinejad de braços abertos como “cumpanheiro” , se prestaram… Leia mais >>
José do Norte
Visitante

Caio, as agências de suborno ocidentais então lamentam que Navalny não seja um assalariável? É isso mesmo? A queixa é essa?

José do Norte
Visitante

E pelo que lia do Caio pensava que Navalny seria um Novo Alexander Hamilton.

wpDiscuz
Close
SiteLock