Este maio/junho é a temporada de deslumbramento com Emmanuel Macron, com seu improvável triunfo nas eleições francesas (presidenciais e legislativas). O Salvador da Europa, pergunta a revista Economist?

Somente a história dirá se Macron ganhará o rótulo de estadista, como outro improvável político que morreu na sexta-feira, o democrata-cristão alemão Helmut Kohl, aos 87 anos.

Sem dúvida, Kohl era um gigante. Era apelidado de “pera” ou “lâmpada” por sua configuração de 1m93 e mais de 130 quilos. Para a história passou como o hábil e determinado timoneiro que configurou o mapa nacional e do continente, figura essencial na reunificação alemã e instrumental na unificação europeia.

Recordista no poder alemão (16 anos, de 1982 a 1998), Kohl claro que não era perfeito. Sua carreira acabou devido a um escândalo partidário de caixa 2 e o mentor se distanciou da protegida Angela Merkel.

No entanto, o balanço é muito favorável para o dirigente que disse: “A reunificação alemã e a unificação europeia são os dois lados da mesma moeda”, ou seja, era precisa dissipar os temores da Alemanha plenamente reconstruída com a queda do muro de Berlim com o empenho para integrar a Europa.

Por este motivo, eu vejo motivos para integrar Macron e Kohl, o francês e o alemão, num mesmo texto, ambos conscientes da conexão entre os interesses nacionais e continentais, que no final das contas é a resposta ao nacionalismo estreito que tanta destruição provoca.

E este motivo, neste obituário de Kohl, escolhi uma foto clássica, de 1984, dele de mãos dadas com o presidente francês François Mitterrand em cerimônia em Verdun, campo da morte da Primeira Guerra Mundial.

 

Deixe um comentário

15 Comentários em "De Kohl a Macron"

avatar
Ordenar por:   novos | antigos
Otto Heinrich Wehmann
Visitante

Só faltou assinalar que Khol foi patrono de Merkel.

http://time.com/3474479/angela-merkel-helmut-kohl-biography/
Correto, a ideia era fazer apenas um rápido comentário e nao obituário mas acrescentei a frase sobre Angela Merkel, abs, Caio

Guga
Visitante
Merecida e boa coluna para Kohl,sem duvida um gigante que reconhece que em alguns momentos a democracia representativa exige lideres fortes e decisões nem sempre tão democráticas,como a da introdução da moeda euro: “I knew that I could never have won a referendum here in Germany. We would have lost… Leia mais >>
Guga
Visitante

A ideia por detras do euro segundo ele mesmo:

“Nations with a common currency never went to war against each other. A common currency is more than the money you pay with,” he said.

victor m costa
Visitante
Bom dia , Caio . Recordista no poder alemão (16 anos, de 1982 a 1988), – – – – – – – – – – Ainda estou meio bêbado de ontem , mas acho que tem alguma coisa errada nessa conta , rssss . Abs . Correto, matematica nunca foi… Leia mais >>
Carmem
Visitante
Parabéns pelo dia dos pais, Caio! Deu gosto ver o q os franceses fizeram. Apostar nesse moço com boas ideias e ainda dar a base parlamentar q ele precisava para implementa-las. Aula de boa política. A França se fortaleceu com esse resultado e tb a UE. Torço para q o… Leia mais >>
Leonardo Carvalho
Visitante

Estadistas como Helmut Kohl só é possível em um sistema Parlamentarista. No caso Macron, o sistema Francês é hibrido (mistura de Parlamentarismo com Presidencialismo). Mas o Presidencialismo puro só produz porcaria como Trump, Lula, Dilma, Chavez. O Presidencialismo nunca produziria um Lider como Kohl.

victor m costa
Visitante

Kohl , um gigante que era cool , e se tornou cult .

Bruno barreto
Visitante

Falar oq desse cara…um dos giagantes do nosso tempo…parelho c jp II..reagan…e outros…caiu por caixa dois…sera q a politica tem uma etica propria e q no fundo oq importa e pra onde se quer ir??
O vitor ainda esta meio bebado…estou ficando..abrcs e bom domingo

victor m costa
Visitante

Bem vindo ao club .

Marcia Soares
Visitante

Boa integração, muito bom texto.
Abs

Thiago Teixeira
Visitante
A Reunificacao Alemã, forçada da forma que foi, nao foi boa pra Alemanha Ocidental. Mas, uma vez reunificada, a Alemanha impunha medo nos outros países europeus (Tatcher: gosto tanto da Alemanha que prefiro que continuem existindo duas…). Por isso, mal a Alemanha sai do sufoco de reeguer a banda oriental,… Leia mais >>
Thiago Teixeira
Visitante

Segue link do Mises Brasil sobre a reunificacao:

http://www.mises.org.br/ArticlePrint.aspx?id=1199

victor m costa
Visitante
As décadas de 1940 , 50 , 60 , 70 , começando a decair nos anos 80 , foram o ápice das artes . Musica , cinema , literatura , e da arte da política , boas safras de grandes artistas . Tempos de vacas magras hoje , a mediocridade… Leia mais >>
Rogerio P.
Visitante

Maravilha — Domingo Ameno — sem brigas nem implicâncias !
O título que me parece mais adequado seria ” Euro’s savior ! “,
..
bem, só passei para desejar Boa Semana ao Caio e aos leitores !
continuem assim.

Ramos
Visitante

Demitir cento e vinte mil funcionários públicos, reduzir poder dos sindicatos, cortar direitos trabalhistas, será que terá forças.

wpDiscuz
Close
SiteLock